New In Store

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adip is cing elit, sed do eiusmod tempor

Categories :

Let’s connect

Conheça a Cafeína um Termogênico Natural

Os termogênicos, atualmente são utilizados como uma estratégia eficaz para emagrecimento, pois induzem a termogênese. A termogênese é definida como uma produção de calor através da energia liberada por reações químicas, tendo como resultado a liberação de diversos hormônios importantes para a fisiologia do nosso organismo (GOMES ET ALL, 2014).

 Para serem digeridos pelo nosso organismo cada tipo de alimento irá gastar determinado intervalo de tempo, pois serão quebrados e absorvidos pelos processos fisiológicos. Deste modo, os alimentos termogênicos apresentam maior nível de dificuldade para serem digeridos fazendo com que haja uma maior quantidade de energia e caloria para realizar este processo, aumentando a temperatura corporal e acelerando o metabolismo (POWERS ET ALL, 2014).

Cafeína e Funções

A cafeína (trimetilxantina) é um dos alimentos termogênicos com mais comprovação cientifica e eficácia, melhorando o desempenho físico principalmente em exercícios prolongados de alta intensidade. A explicação para tal função, é que este termogênico natural induz a lipólise dos tecidos adiposos aumentando a concentração de ácidos graxos livres. Os ácidos graxos livres serão oxidados nos músculos e utilizados como substratos energéticos, poupando as reservas de glicogênio muscular consequentemente evitando a fadiga muscular (HELOU ET ALL, 2013).

Mobilização dos Ácidos Graxos

A capacidade de mobilização dos ácidos graxos é explicada pela função da cafeína em estimular e aumentar a concentração de catecolaminas na circulação, como a adrenalina. O excesso de adrenalina faz com que o organismo capte de forma rápida uma grande quantidade de energia, ocorrendo também a quebra de gorduras, estimulação do hormônio glucagon e melhora do estado de alerta (REIS ET ALL, 2012).

Antagonista do Receptor de Adenosina

A maximização do desempenho físico também está ligada ao fato de que a cafeína apresenta efeito antagonista sobre o receptor de adenosina no sistema nervoso central, havendo uma inibição e diminuição dos receptores de adenosina. A redução da adenosina auxiliará na diminuição da percepção de fadiga, dor e desanimo resultando em um aumento de rendimento no exercício (ALTERMANN ET ALL,2008).

Contração Muscular

A contração muscular também é importante para os praticantes de atividades físicas, pois auxiliam na eficácia e agilidade dos movimentos. A cafeína aumenta a mobilização de cálcio intracelular, potencializando a contração muscular. Deste modo, auxiliará a retardar a fadiga muscular, pois a diminuição da concentração intracelular de cálcio também é responsável pela fadiga muscular (BELL ET ALL, 2001).

Estudos científicos e Cafeína

Atualmente existem diversos estudos comprovando os benefícios da cafeína, na pesquisa realizado por Motl e Colaboradores em 2006, ciclistas foram submetidos a ingestão de cafeína antes da sessão de exercícios e observaram uma redução na sensação de dor durante a atividade. No estudo de Andrade e colaboradores em 2012 os resultados achados foram redução de peso significativa nos voluntários e o aumento do rendimento nos exercícios físicos propostos.

Astorino e colaboradores em 2012 relataram aumento da percepção de prazer em ciclistas treinados. O estudo de Jackman também mostrou aumento da força muscular acompanhado de maior tempo de resistência à fadiga.  Nota-se grande melhoria no desempenho das atividades físicas utilizando a suplementação de cafeína, porém é importante ressaltar que todos os estudos apresentados tiveram voluntários treinados, deste modo, além da suplementação outro fator importante para estes resultados positivos foram a condição do atleta.

Doses da Cafeína

As doses de cafeína e a forma de administração também são de importante fator para os resultados benéficos deste termogênico. Com o intuito de avaliar os efeitos de diferentes quantidades de cafeína sobre o desempenho de Endurance, um estudo submeteu ciclistas a doses de cafeína de: 5, 9 e 13 mg/kg. Todos os 3 tratamentos obtiveram aumento do desempenho em comparação com o grupo que não recebeu cafeína (PASMAN, ET ALL).

Além disso, não houve diferença estatística entre os três tratamentos com cafeína, sugerindo que o aumento de desempenho provocado pela cafeína não apresenta diferença sobre a dose. Estes achados são importantes para a determinação da dose ideal de cafeína, contrariando o senso comum que muitas vezes acredita que “se pouco é bom, mais é melhor”.

Ainda segundo Maria e Moreira (2007) se as doses consumidas apresentarem-se muito elevadas conforme as recomendações, o efeito pode ser contrário e afetar negativamente o controle motor, qualidade do sono, irritabilidade e consequentemente afetar os exercícios realizados.

Cafeína x Redução de Peso

Como já dito a cafeína irá induzir a lipólise dos tecidos adiposos, deste modo, haverá a quebra de gorduras e redução de peso consequentemente. Outro fator indireto que auxiliará na redução de peso deste termogênico é a sua capacidade de aumentar o rendimento e performance nas atividades físicas, fazendo com que o praticante de atividade física se exercite em maior tempo e intensidade. Aumentando a queima de calorias e potencialize o emagrecimento.

 

Referências Bibliográficas 

  1. GOMES ET ALL. Uso de suplementos termogênicos a base de cafeína e fatores associados a qualidade de vida relacionada a saúde em praticantes de atividade física. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício,2014.
  2. POWERS ET ALL. Fisiologia do Exercício: teoria e aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 8a edição. Manole,2014.
  3. HELOU ET ALL. Influência da cafeína na lipólise e metabolismo da glicose durante uma aula de ciclismo indoor. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 2013.
  4. REIS ET ALL. Efeitos de um produto termogênico sobre parâmetros bioquímicos e morfológicos relacionados à saúde: um estudo de caso. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva,2012.
  5. ALTERMANN ET ALL. A influência da cafeína como recurso ergogênico no exercício físico: sua ação e efeitos colaterais. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 2008.
  6. GOLDSTEIN ET ALL. International society of sports nutrition position stand: caffeine and performance. Journal of the International Society of Sports Nutrition, 2010.
  7. BELL ET ALL. Effect of caffeine and ephedrine ingestion on anaerobic exercise performance. Med. Sci. Sports Exerc., v.33, n.11, p.1399-1403, 2001.
  8. MOTL ET ALL. Effect of caffeine on leg muscle pain during cycling exercise among females. Medicine and Science in Sports and Exercise, 2006.
  9. ASTORINO ET ALL. Effect of caffeine on RPE and perceptions of pain, arousal, and pleasure/displeasure during a cycling time trial in endurance trained and active men. Physiology and Behavior, 2012.
  10. PASMAN ET ALL. The effect of different dosages of caffeine on endurance performance time. International Journal of Sports Medicine, 1995.
  11. MARIA E MOREIRA. Cafeína: revisão sobre métodos de análise. Quím. Nova [online]. 2007.

 

Deixe um comentário

X